O sonho da casa própria ainda é uma realidade para grande parte dos brasileiros, e neste cenário, o financiamento imobiliário pode ser um grande aliado.

Segundo estudo realizado pela Datastore, empresa especializada em pesquisas do setor imobiliário, mais de 13 milhões de famílias, em todo o país, almejam comprar um imóvel nos próximos dois anos. 

Nos últimos tempos novas opções de financiamento têm ganhado força no mercado imobiliário, facilitando a vida dos compradores. 

São diversos tipos de financiamentos oferecidos, mas a maioria deles são realizados pelos bancos, que pagam ao vendedor do imóvel a quantia que o cliente quer financiar. 

A partir disso, o comprador deve pagar ao banco que quitou sua dívida.

O financiamento é oferecido por vários bancos, mas o que diferencia realmente são as condições de pagamento, como as taxas de juros cobradas, a duração dos contratos e quanto do valor pode ser financiado.

Como funciona?

Para detalhar como funciona o financiamento imobiliário, preparamos um passo a passo para você. Vamos lá?

Passo 1: Selecione um banco.

Passo 2:  Agende uma visita a unidade e converse com o gerente para iniciar as etapas que vão permitir a liberação do crédito (dinheiro).

Passo 3: Apresente toda a documentação que comprove a sua renda. É essa comprovação que vai indicar a capacidade de pagamento das prestações, que não podem ultrapassar 30% da renda familiar bruta.

Passo 4:  Aguarde a análise da proposta. Se a proposta for aprovada, é a hora do banco, por meio de uma empresa, engenheiro ou arquiteto, avaliar o imóvel a ser financiado para confirmar o seu valor. 

Passo 5: O banco elaborará o contrato, que deve ser assinado por comprador e vendedor e registrado em cartório.

Passo 6: O crédito será liberado e repassado ao vendedor. Pronto!

Tipos de financiamento

Atualmente, os tipos de financiamento mais comuns são os que utilizam os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou do Sistema Brasileira de Poupança e Empréstimo (SBPE).

Em alguns casos, a própria construtora oferece o financiamento.

Financiamento com a utilização do FGTS

Nos financiamentos com a utilização de recursos do FGTS, o valor do imóvel e do financiamento têm limites que variam de forma periódica. 

Além disso, só podem participar pessoas com uma renda familiar máxima. Neste tipo de financiamento, as taxas de juros cobradas são mais baixas do que no SBPE.

Financiamento do SBPE

Já no financiamento do SBPE, não há limite de renda. Neste caso, quando o valor do imóvel financiado está nos limites do SFH, as taxas de juros não podem ser a 12% ao ano. Quando esse financiamento é realizado fora do SFH, essa taxa pode ser maior.

Você está procurando um imóvel para financiar, investir ou morar? Então venha conhecer o condomínio de sobrados de alto padrão Veredas da Alvorada. 

Agende uma visita com nossos corretores, clicando aqui.