Você já pensou que a região onde você mora nem sempre foi como é hoje? Em cidades como Goiânia e Aparecida, em que o crescimento populacional e o desenvolvimento econômico são vertiginosos é muito comum que setores antes com grandes vazios urbanos se expandam rapidamente em um curto espaço de tempo, a partir de investimentos tanto do poder público quanto da iniciativa privada. E um dos principais fatores que valorizam um imóvel está a localização e a perspectiva de crescimento da região.
 
Um local com grande potencial de desenvolvimento deve receber atenção da prefeitura com relação às obras de infraestrutura e urbanização como ruas asfaltadas, iluminação pública, coleta de lixo diária e linhas ônibus para estimular uma expansão de forma organizada. Ao passar a receber esses serviços, a área se valoriza e começa a atrair novos moradores e comerciantes. Com o passar do tempo, a tendência é que o local se integre totalmente à cidade e fique ainda mais atrativo.
 
Em Goiânia, alguns exemplos são bastante conhecidos. O Parque Sulivan Silvestre, mais conhecido como Vaca Brava, foi inaugurado oficialmente em 1996, após uma decisão judicial decretando que o município deveria preservar a região e desocupar uma invasão dentro da área verde. Um ano antes, em 1995, havia sido inaugurado o Goiânia Shopping. Antes disso, a região era uma fazenda de propriedade privada por onde passava um córrego em uma região de brejo. Foi nos últimos 15 anos que a área começou a ganhar força imobiliária. O Parque e o lago receberam investimentos tanto do poder público como de instituições privadas, melhoria na infraestrutura e na manutenção da área, e hoje já está rodeado por prédios, e comércios em geral.
 
Outra região que teve o crescimento imobiliário acelerado na última década é a do Parque Flamboyant. Situado no Jardim Goiás, próximo ao estádio Serra Dourada, o Parque Flamboyant Lourival Louza foi construído numa área de mais de 100 mil metros quadrados. Antes disso, a região sofria com a pouca iluminação e a falta de infraestrutura. Atualmente, o Jardim Goiás e o Alto da Glória, já possuem um dos metros quadrados mais caros da Capital.
 
A região do Buriti Shopping, em Aparecida de Goiânia também é outro grande exemplo de valorização de área nas duas últimas décadas. O estabelecimento foi inaugurado em 1996 e em sua página oficial traz uma explicação para o sucesso, “em regiões promissoras, projetos arrojados e desafiadores são capazes de mudar a realidade econômica e desenvolver o potencial numa velocidade surpreendente”. Basta dar uma volta na avenida Rio Verde hoje, que também foi revitalizada nos últimos anos pelo poder público, e perceber uma via cheia de comércios e condomínios modernos. Um local antes tomado pelos vazios urbanos, tornou-se  disputado por empreendedores.
 
Na maioria dos casos, ao adquirir o imóvel em uma região onde há boas perspectivas de crescimento, o comprador paga um preço abaixo da média do mercado projetando que, em médio prazo, o empreendimento irá se valorizar consideravelmente. Para os especialistas, essa pode ser uma boa estratégia tanto para quem quer investir, que poderá vender o imóvel por um preço superior ao que pagou, como também para quem quer morar, que terá uma residência em um bairro valorizado.
 
Assim é a perspectiva da região escolhida para a construção do Condomínio Clube Veredas da Alvorada. Visto pelos investidores como um futuro setor nobre de Aparecida, o Sítios Santa Luzia além de estar próximo às principais vias de acesso e grandes comércios do município, está a poucos minutos de diversos pontos estratégicos de Goiânia. Considerando também que o bairro conta ainda com uma grande vantagem, o de não ter sido afetado por problemas comuns de setores já altamente adensados, que não comportam mais moradores, como trânsito caótico em horários de pico, falta de mobilidade, poluições ambiental e sonora, e altos índices de violência.