Produção de energia no próprio condomínio é uma das tendências do setor. Condomínio Veredas da Alvorada oferece diversas soluções ecológicas.
 
A oferta de novos empreendimentos residenciais deve voltar a se desenvolver de forma progressiva no País em 2019, após anos de crise. A expectativa, é que os lançamentos e as vendas de imóveis no País cresçam na ordem de 10% a 15% na comparação com o ano de 2018, segundo projeções da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).
 
Nos principais lançamentos imobiliários um grande destaque tem sido a preocupação com a Sustentabilidade. São muitas as soluções, ações, atitudes que hoje podem ser classificadas como sustentáveis em um canteiro de obras. Uma das apostas dos nos empreendimentos é a geração no próprio condomínio da energia elétrica.
 
A expansão da geração fotovoltaica tem feito com que as edificações deixem de ser simplesmente consumidoras de energia, para se transformem em geradoras de eletricidade. A demanda é crescente no país e tem avançado em média 300% ao ano desde 2015, conforme estimativa da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica. Até 2030, a estimativa é que 10% da energia produzida no Brasil seja solar. E a construção civil será fundamental nesse processo. Grande parte da energia limpa virá do alto de edifícios, dos telhados de casas, de prédios comerciais, de indústrias, shoppings e estacionamentos.
 
Em Goiás, um incentivo a mais para a escolha das placas fotovoltaicas são os problemas de fornecimento recentes. O Condomínio Veredas da Alvorada, de acordo com o engenheiro civil Construtora, Fernando Simões Raimundo de Lima, além de resolver este problema, com a geração própria, poderá oferecer energia elétrica à Enel Distribuição, com um bônus que será abatido da conta, “uma forma de produzir energia limpa e sustentável”. O empreendimento com esse sistema certamente tem mais valor, até pela eficiência energética e pelo desenvolvimento sustentável.